Fortune Rabbit

ZF-Superbanner-01.08 a 02.11.23

A Toyota lançou oficialmente nesta quinta-feira (17) a nova geração do SW4. O SUV, chega poucos meses depois da picape Hilux, com quem compartilha plataforma, e mira angariar clientes de segmentos superiores, partindo de R$ 205.000 na versão a gasolina, alcançando os R$ 225.000 na topo de gama, a diesel. 

De acordo com o vice-presidente da Toyota no Brasil, Miguel Fonseca, o SW4 terá uma nova missão no Brasil. A companhia quer aumentar a presença do SUV nos grandes centros urbanos, fazendo-o assumir de vez seu propósito esportivo utilitário para se descolar da picape Hilux. E a aposta da Toyota é o nível de sofisticação e equipamentos do novo SW4 para cumprir seu objetivo.

PREÇOS E VERSÕES

  • SRX 4×4 2.8 TDI AT6 5L (diesel) – R$ 220.000
  • SRX 4×4 2.8 TDI AT6 7L (diesel) – R$ 225.000
  • SRX 4×4 4.0 V6 AT6 7L (gasolina) – R$ 205.000

Pelas fotos já é possível perceber que houve um verdadeiro salto na evolução de seu visual. O novo SW4 abandonou a cara robusta por uma abordagem mais moderna e elegante, pronunciada pelo formato mais afilado e curvilíneo dos faróis, agora compostos por bi-LEDs. A silhueta também está diferente, mais fluida, abusando dos vincos na linha dos ombros e soleiras das portas, que acompanham o traçado do capô ao teto para caracterizar a nova personalidade do modelo. Atrás, o destaque fica por conta das lanternas de LED, interligadas por uma barra cromada.

Toyota SW4 aposta em visual mais moderno em nova geração

Por dentro, outra revolução. O painel foi todo reformulado e está mais organizado com a nova central multimídia touchscreen de 7’’ e comandos do ar-condicionado centralizados por duas barras revestidas de couro. O quadro de instrumentos está mais elegante, em tom azulado, com um computador de bordo com tela TFT colorida mais completo entre os mostradores. E, apesar da mistura de diferentes materiais na cabine (plástico rijo, couro, aço e aplique de plástico imitando madeira) o resultado dista bem da aparência sóbria da geração antiga. 

Embora a soma das medidas internas do novo SW4 seja menor do que a do anterior, os ocupantes têm espaço generoso, além da comodidade inédita das saídas de ar dedicadas atrás, com controle de intensidade do fluxo de ar. 

MAIS SEGURO E EFICIENTE
A versão que CARRO ONLINE avaliou foi a SRX equipada com o novo motor 2.8 turbodiesel de 177 cv e 45,9 kgfm de torque, estreado na nova Hilux, com capacidade para até cinco ocupantes. Na nossa pista de testes, apesar de mais potente, o motor teve um desempenho praticamente idêntico ao 3.0 anterior em aceleração e retomadas. O que melhorou foi o consumo: o novo SW4 roda bons 9,5 km/l na cidade. 

A melhora no consumo pode ser atribuída ao novo câmbio automático de seis velocidades que equipa o modelo, pois permitiu um melhor escalonamento das marchas, inclusive priorizando mais agilidade na primeira e segunda, já pensando nas necessidades mais urbanas. 

As frenagens – preocupação externada pelos próprios consumidores do SW4, segundo os engenheiros da Toyota – também melhoraram. Com a adição de discos ventilados na frente e atrás, a segunda geração do SUV percorreu 10 m a menos para frear de 100 a 0 km/h e o fading diminuiu de 2,1 m para 1,77 m. 

Versão única de equipamentos é recheada de mimos

Conforme citado antes, o nível de equipamentos do SW4 também está mais atraente. O SUV ganhou inúmeros itens de comodidade, como acesso por chave presencial, porta-malas com acionamento elétrico e rebatimento dos retrovisores. E para reforçar a capacidade off-road (cujo tipo de tração é selecionado por um botão, não mais alavanca) há uma verdadeira sopa de letrinhas de recursos eletrônicos para ajudar na condução, como controle de estabilidade (VSC), de tração (A-TRC), assistente de partida em rampa (HAC), assistente de descida com velocidade controlada (DAC), assistente de reboque (TSC), além da frenagem com distribuição eletrônica (EBD). 

HORIZONTE PREMIUM
Apesar de não ter explicitado, a intenção da Toyota é colocar o SW4 em um patamar superior de qualidade, aproximando-se de modelos premium. Tabelado a R$ 220.000 (na versão avaliada), seu novo rival passa a ser o Land Rover Discovery Sport diesel (R$ 229.950), que pode não ter um volume de vendas comparável ao japonês, mas serve de inspiração para oferecer um produto com mais requinte num segmento ainda pouco explorado no Brasil (o dos SUVs grandes a diesel).

E para Fonseca, o aumento de preço, justificado pelo nível de equipamentos desta segunda geração (que traz mimos como acesso ao veículo por chave presencial, abertura elétrica do porta-malas, rebatimento dos retrovisores externos, etc.) “não vai alienar a base de clientes” do SW4. 

Interior ficou muito mais moderno e sofisticado que o modelo anterior

CONCLUSÃO
Embora seja inegável que as melhorias promovidas pela Toyota tenham elevado o patamar de qualidade do SW4, ainda não é possível equipará-lo ao nível do Land Rover, quanto ao requinte e sofisticação. Existem alguns pecados que o SW4 comete que o impedem de adentrar ao mundo premium. O principal deles é a dirigibilidade ainda muito semelhante ao da picape Hilux. A construção de carroceira sobre chassi não é eficaz ao proporcionar um rodar tão confortável para quem está a bordo do SW4, que deve conviver com as constantes oscilações da suspensão ao superar qualquer imperfeição na via. É verdade que houve um trabalho de adaptação da suspensão para atenuar estes efeitos, mas ainda não se pode ter a mesma sensação mais suave de um SUV genuíno. 

FICHA TÉCNICAToyota SW4 SRX 4×4 2.8 TDI AT6 5L
Motor2.8, 4L, diant., long., turbo com intecooler, 16V
Potência (cv)177 a 3.400 rpm
Torque (kgfm)45,9 a 1.600 rpm
CâmbioAutomático, 6 marchas, tração 4×4
Suspensão (d/t)independente/multilink
Peso vazio (kg)2.100 
Capacidade de carga (kg)620
Dimensões (C/L/A)4.795/1.855/1.835
Entre-eixos2.745
Capacidade do tanque (litros)80

Outros revés importante é a falta de equipamentos condizentes ao valor cobrado pela Toyota. Não há, por exemplo, um sistema de câmeras 360º para facilitar as manobras de um carro cujas dimensões são 4,79 m de comprimento, 1,85 m de largura e 1,83 m de altura. De série, ela traz sensor de estacionamento e câmera de ré. Também sente-se falta de tecnologias autônomas de condução, como frenagem de emergência autônoma e piloto automático adaptativo. 

NOSSAS MEDIÇÕESToyota SW4 SRX 4×4 2.8 TDI AT6 5L
Aceleração
0-60 km/h5s66
0-80 km/h9s16
0-100 km/h13s77
0-120 km/h19s22
Retomadas
40-100 km/h em Drive11s05
60-120 km/h em Drive13s48
80-120 km/h em Drive10s39
Frenagens
80-0 km/h28,91 m
100-0 km/h44,75 m
120-0 km/h65,08 m
Consumo (diesel)
Cidade9,6 km/l
Estrada12,5 km/l
Peco10,9 km/l

Detalhes como o excesso de plástico rijo na cabine e um software pouco intuito da central multimída, com comandos resistivos (que produzem pequenos delays para acioná-los) completam os quesitos que mantêm o SW4 um degrau abaixo de rivais mais requintados.  

Share This
Fortune Rabbit Mapa do site